Taxas de juros sobem a 3% na eurozona

O Conselho de governo do Banco Central Europeu (BCE) decidiu nesta quinta-feira subir as taxas de juros a curto prazo para a eurozona em 0,25 ponto percentual, a 3%, informou a entidade.A instituição européia também elevou em 0,25 ponto percentual a linha de crédito marginal, pela qual empresta dinheiro às entidades, a 4%, e a linha de depósito, pela qual remunera o dinheiro, a 2%.Os mercados davam como certa esta alta, depois que o presidente do BCE, Jean-Claude Trichet, deixou entrever esta decisão após a reunião do órgão executivo do banco em julho.A maioria dos analistas considera que o banco subirá as taxas a 3,5% até o fim do ano para combater as pressões inflacionárias, embora alguns especialistas tenham advertido a entidade de que não deveria se precipitar, pois o crescimento da economia da zona do euro pode se tornar mais fraco em 2007.Segundo o Fundo Monetário Internacional (FMI), persistem os riscos para o futuro da economia da eurozona, sobretudo porque a recuperação do emprego e do consumo ainda não foi estabelecida de modo firme, o aumento da produtividade ainda é lento, os preços do petróleo são voláteis e os desequilíbrios globais não foram solucionados."Existe uma tensão entre o desenvolvimento atual (da economia), que sugere que o BCE deveria atuar mais rápido, e a preocupação em relação ao próximo ano", afirmam os economistas do banco de investimento JPMorgan.Na opinião de analistas, o BCE deverá decidir entre continuar subindo as taxas para conter a alta dos preços ou não alterá-las para proteger o momento expansivo que atualmente a economia da zona do euro atravessa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.