Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Taxas futuras ampliam quedas

Proposta do governo de mudança na caderneta de poupança reforça apostas em novos cortes na Selic

Denise Abarca, Claudia Violante e Silvana Rocha, O Estadao de S.Paulo

14 de maio de 2009 | 00h00

O mercado de juros ampliou a queda das taxas após o anúncio da proposta do governo de mudança na caderneta de poupança. Os juros renovaram as mínimas à tarde e, após ajustes de posições, desaceleraram o declínio, mas ainda encerraram em níveis inferiores aos da véspera. Quando as propostas de medidas começaram a ser anunciadas, às 12h25, os contratos de janeiro de 2010, 2011 e 2012 tinham taxas de 9,39%, 10,00% e 10,98%, respectivamente, e, após o anúncio, recuaram gradativamente até chegarem às respectivas mínimas de 9,35%, 9,94% e 10,91%. No fechamento, as taxas cederam a 9,39%, 9,98% e 10,97%, respectivamente. O indutor desse comportamento foi a sinalização do ministro da Fazenda, Guido Mantega, de que as medidas que serão encaminhadas ao Congresso permitirão criar condições para eventual continuidade da queda da taxa Selic. A Bovespa cedeu 3,27%, aos 48.679,19 pontos, registrando a 3ª queda consecutiva. Neste período, acumula perdas de 5,28%. Em Nova York, o índice Dow Jones perdeu 2,18% e o Nasdaq recuou 3,01%. Com a saída de investidores estrangeiros da Bolsa, o dólar à vista subiu 1,74%, a R$ 2,106.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.