Taxistas dão descontos para atrair clientes

Os motoristas de táxi têm compensado a falta de clientes aumentando o horário de trabalho e oferecendo descontos nas corridas. Isso porque as tarifas oficiais são altas e afastam boa parte do mercado consumidor. Para ter uma idéia da jornada de trabalho e da renda mensal de um taxista, o Finanças Pessoais consultou dez motoristas de táxi da cidade de São Paulo e perguntou o valor médio gasto por dia com combustível, a féria bruta diária e o gasto aproximado em manutenção. Na pesquisa, constatou-se um problema comum: o tempo perdido à espera de passageiros. ProfissionalHoras de trabalho (por dia)Corridas (por dia)Gasolina (R$/dia) Féria Bruta (R$)Manutenção (R$/mês)Taxista 1151235100200Taxista 2161345150300Taxista 312820120150Taxista 412955150150Taxista 511920130200Taxista 6117157050Taxista 712920100100Taxista 81462060200Taxista 9 12630100300Taxista 1010635135300Média12,58,529,5111,5195Em média, os taxistas da pesquisa ficam nas ruas ou nos pontos de táxi 12,5 horas por dia. Na prática, eles compensam a falta de clientes esticando o horário de trabalho. Diariamente, fazem uma média de 8,5 corridas, o que é pouco para um horário de trabalho tão extenso. Sem considerar a duração de cada corrida, é como se o táxi atendesse um novo cliente a cada hora e meia.O taxista Márcio Botelho dos Santos, que trabalha em um ponto próximo ao Shopping Iguatemi, acredita que o preço da tarifa afasta os passageiros. "As pessoas ficam assustadas com o preço. Qualquer corridinha em São Paulo não sai menos de dez reais por causa do trânsito. Se o cliente quer andar uma distância curta, acha que não compensa pagar a bandeirada e acaba desistindo", diz ele. "A gente perde muito tempo parado no ponto esperando cliente. Acho que valeria a pena baixar os preços para o taxista poder ganhar em volume", completa o motorista.Leonardo Gargi, dono de um Voyage que circula na Zona Norte, também acha que o maior problema é a falta de clientes. "O pessoal está sem dinheiro para pegar táxi. Acho que se o preço fosse um pouco menor, conseguiríamos mais corridas por dia", diz. "Já houve dois reajustes de combustível e o preço do táxi continua o mesmo. Ainda bem, porque, com tarifas ainda mais altas, os clientes sumiriam de vez", justifica ele. Desconto na tarifa é solução para algunsInformalmente, motoristas que trabalham com uma clientela mais definida estão oferecendo descontos para conseguir mantê-la. Da pesquisa com os dez taxistas, dois admitem que somente assim conseguem manter uma clientela mais freqüente. Um dos taxistas dá descontos de 30% para clientes usuais, anulando o último aumento dado nas tarifas em São Paulo, de setembro de 1999. Essa não é uma prática comum, segundo eles, com clientes não usuais. Outro motorista, que trabalha na Casa Verde - e não está nesta amostra -, também aceitou dar desconto de 30% sobre as corridas, e receber pagamento mensal, por uma corrida fixa diária de um passageiro. Veja na seqüência uma reportagem sobre a resistência e as limitações para a concessão de descontos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.