Técnicos do Banco Central fazem paralisação de 72 horas

Servidores param pela quinta vez neste ano para pedir modernização da carreira

Kelly Oliveira , Agência Brasil

14 de outubro de 2014 | 10h34

Técnicos do Banco Central fazem nesta terça-feira, 14, paralisação de 72 horas. Essa será a quinta vez no ano em que os servidores fazem paralisação para pedir a modernização da carreira.

Os técnicos querem mudança no critério de acesso aos cargos da carreira de especialista do Banco Central. O cargo de técnico passaria a ter exigência de nível superior e o de analista, além do nível superior, a prova de títulos.

O movimento sindical considera que atualmente há desvios de função no Banco Central, com analistas exercendo as mesmas funções dos técnicos, mas com salário maior. Se for exigido nível superior para os cargos de técnicos, o salário aumenta.

Na última paralisação, os técnicos reuniram-se com o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, para levar a proposta de modernização da carreira adiante. E recentemente, eles foram recebidos pelo ministro de Relações Institucionais da Casa Civil, Ricardo Berzoini.

Para o Sindicato Nacional dos Técnicos do Banco Central, “mesmo com as promessas oriundas do governo de dar atenção a essa questão, não se deve recuar neste momento.”

O Banco Central, via assessoria de imprensa, informou que "a greve não afetou as atividades do Banco Central, que dispõe de um plano de contingencia para paralisações."

Tudo o que sabemos sobre:
banco central

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.