Técnicos do governo vão à China discutir soja

Poucos dias depois da visita oficial do presidente Luiz Inácio Lula da Silva à China, técnicos do Ministério da Agricultura voltarão a Pequim para tentar uma negociação que vise a pôr fim ao impasse comercial entre os dois países para a venda de soja. A intenção dos técnicos do ministério é embarcar amanhã para a China e reunir-se com autoridades da Administração Geral de Supervisão de Qualidade, Inspeção e Quarentena (AQSIQ, na sigla em inglês) e do Ministério da Agricultura da China ainda nesta semana, provavelmente na quinta ou sexta-feira. "A situação é grave. Não podemos mais esperar", afirmou o secretário de Defesa Agropecuária do ministério, Maçao Tadano. O governo chinês informou nesta segunda-feira que suspendeu a compra de soja brasileira fornecida por mais 15 tradings devido à mistura de sementes tratadas com fungicidas em carregamentos. No total, já são 23 tradings na "lista negra" do governo chinês. Tadano afirmou que solicitou à área internacional do ministério a confirmação da informação. Ele disse que só comentará a notícia quando o governo brasileiro for notificado oficialmente do novo embargo. Além de Tadano, o secretário de Agricultura do Rio Grande do Sul, Odacir Klein, e o assessor para assuntos internacionais do ministério, Odilson Ribeiro, integrarão a missão.

Agencia Estado,

14 de junho de 2004 | 13h13

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.