TED substitui DOC para depósito igual ou acima de R$ 5 mil

A partir desta quarta-feira, os clientes dos bancos que quiserem depositar na conta de outra pessoa um valor igual ou superior a R$ 5 mil não poderão utilizar um Documento de Ordem de Crédito (os DOCs). Os depósitos deste valor serão obrigatoriamente feitos pela Transferência Eletrônica Disponível (as TEDs) e o crédito na conta do favorecido será feito no mesmo dia. Para depósitos inferiores a R$ 5 mil, os clientes continuarão usando os DOCs, com a compensação feita no dia seguinte. Outra mudança é a de que todos os DOCs passarão a ser compensados pela Câmara Interbancária de Pagamentos (CIP), deixando de circular pela Câmara de Compensação de Cheques e Outros Documentos, conhecida como COMPE que é do Banco do Brasil.Atualmente, 368 mil DOCs, que movimentam R$ 800 milhões, são compensados diariamente pela COMPE. Deste total, 16 mil têm valor igual ou superior a R$ 5 mil, girando R$ 470 milhões ao dia. Os DOCs de valor inferior movimentam R$ 330 milhões ao dia. As informações são do superintendente da CIP, Paulo Mallmann, que explicou que esta mudança faz parte de mais uma etapa do novo Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB), criado em abril de 2002.Implantação do sistemaDesde a implantação do sistema, os depósitos superiores a R$ 5 mil passaram a ser obrigatoriamente feitos pela TEDs. Hoje, de acordo com Mallmann, são feitas 100 mil TEDs diariamente, sendo que 65 mil são processados pela CIP, com volume diário de cerca de R$ 6 bilhões, e 35 mil, pelo Banco Central. "Ainda estamos em processo de crescimento de nossa capacidade", disse Mallmann, explicando que 92% das TEDs são processadas e aprovadas em menos de 1 minuto, o que mostraria a agilidade e eficiência da CIP. A expectativa da Febraban e de Mallmann é a de que não haverá alteração nas tarifas cobradas para as TEDs e os DOCs.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.