Telebrás espera lucrar com as punições

Com investimento de R$ 2,4 bilhões de 2012 a 2014 em infraestrutura de banda larga, a estatal Telebrás acredita que será beneficiada com a punição dada pela Anatel às operadoras Oi, Claro e TIM. Segundo o presidente da Telebrás, Caio Bonilha, a estatal vai complementar a infraestrutura existente e oferecerá às telefônicas serviços que garantirão uma melhor qualidade da internet. Segundo ele, uma dessas três empresas já negocia um contrato com a Telebrás.

RIO, O Estado de S.Paulo

20 de julho de 2012 | 03h07

"Já estávamos negociando, mas esperamos acelerar a contratação", disse Bonilha. A interligação do núcleo da rede a sub-redes periféricas, o backhaul, é apontada por ele como uma das lacunas existentes nas telecomunicações no Brasil.

O orçamento da Telebrás neste ano será de R$ 400 milhões e, para 2013, a expectativa é mais do que dobrar os recursos, para R$ 1 bilhão, montante que será repetido também em 2014. Embora o investimento já estivesse previsto no Plano Nacional de Banda Larga, Bonilha reforça que a atuação da Telebrás faz parte do plano do governo federal de estimular a economia com a realização de obras de infraestrutura. "Estamos interligando redes dispersas. Onde o setor privado está atendendo não é prioridade", disse o executivo.

A Telebrás criou um plano de internet banda larga especificamente para empresas, uma medida de estímulo ao setor produtivo, segundo Bonilha. O Pacote Empresarial Essencial oferecerá internet com velocidade de 15 megabits por segundo (Mbps). / FERNANDA NUNES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.