Telecom Italia desmente possível compra pela Telefónica

A operadora de telefonia Telecom Italia desmentiu que tenha planos para se fundir com a operadora espanhola Telefónica, responsável pelos serviços de telefonia no Estado de São Paulo, rejeitando rumores acerca de uma possível oferta de compra feita pela rival espanhola. Altos executivos da maior operadora de telefonia italiana também disseram hoje, em assembléia de acionistas, que a empresa não está preocupada com seu pesado endividamento. No discurso que fez durante a abertura da assembléia, o presidente da Telecom Italia, Gabriele Galateri, disse que o grupo não planeja nenhum aumento de capital da empresa.As ações da Telecom Italia ficaram recentemente sob pressão, refletindo os boatos de uma possível oferta de compra da Telefónica, que tem uma participação indireta de 10% na operadora italiana. A Telecom Italia é controlada pela holding Telco, que tem 24,5% de suas ações. A Telefónica, os bancos italianos Intesa Sanpaolo e Mediobanca, a seguradora Generali e a holding Sintonia, da família Benetton, também têm participações.Em seu discurso aos acionistas, o executivo-chefe Franco Bernabè informou que a Telecom Italia dispõe de uma liquidez de 6,8 bilhões de euros e que a companhia não tem sido atingida pela crise bancária e monetária dos últimos meses. Segundo Bernabè, a operadora também conta com uma linha de crédito adicional de 8 bilhões de euros, com vencimento em 2014, dos quais 6,5 bilhões de euros ainda não foram utilizados.Na assembléia de acionistas, a associação italiana de administradores de fundos Assogestioni deve disputar com a família Fossati os três assentos no conselho da empresa reservados aos minoritários. A família Fossati, que tem 4,45% de participação da Telecom Italia, tem afirmado que uma fusão com a Telefónica seria o "cenário ideal" para a companhia italiana. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.