Telecom Italia manterá operação autônoma de TIM e Vivo

Diante da iminente mudança de regras no setor de telefonia no Brasil, a direção da Telecom Italia, que controla a TIM Brasil, esteve hoje reunida, separadamente, com os ministros da Casa Civil, Dilma Rousseff, e das Comunicações, Hélio Costa, além de representantes da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). O presidente da empresa italiana, Gabriele Galateri di Genola, reiterou às autoridades brasileiras o compromisso de manter a operação da TIM Brasil independente da da Vivo, controlada pela Telefônica.A Telecom Italia foi comprada no ano passado pela espanhola Telefónica e por um consórcio de bancos italianos e o assunto ainda está em análise pela Anatel. A agência aprovou a compra, mas fez 28 exigências para garantir que as operações no setor de telefonia celular no Brasil sejam mantidas separadas das da Vivo. O presidente da Telecom Italia disse que apresentou à Anatel garantias adicionais da independência da TIM Brasil. "Queremos afirmar que a TIM Brasil é uma companhia independente e que quer continuar independente", enfatizou di Genola.Informou ter pedido às autoridades brasileiras que o novo marco regulatório do segmento assegure condições competitivas para todos os investidores do setor. O presidente da TIM Brasil, Mario Cesar Pereira de Araújo, presente nos encontros, disse que a Telecom Italia não irá se opor, em princípio, às mudanças de regras e à compra da Brasil Telecom pela Oi."A nossa preocupação é que seja preservado o equilíbrio competitivo do mercado para que a TIM possa oferecer todos os serviços convergentes em igualdade de condições com as demais operadoras", disse Araujo. Frisou que uma das medidas necessárias é a abertura das redes das concessionárias para que sejam utilizadas por outras empresas, conhecida como unbundling. "Senti que eles (ministros) vêem com bastante importância o unbundling para o cenário competitivo no Brasil", afirmou.Já o diretor de operações internacionais da Telecom Italia, Oscar Cicchetti, que acompanhava o presidente da empresa, disse que o Brasil é o segundo mercado da Telecom Italia e que a empresa quer continuar operando no País. A companhia italiana, segundo ele, quer ampliar sua participação na Telecom Argentina e assumir o controle da empresa. Cicchetti informou ainda que a Telecom Italia conseguiu, em uma câmara arbitral internacional, o bloqueio de US$ 90 milhões que a companhia boliviana Entel tem em instituições financeiras internacionais. A Telecom Italia é sócia da Entel, nacionalizada pelo governo boliviano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.