Telefonia celular não cumpre metas da Anatel

Quinze operadoras de telefonia celular nas bandas A e B, de um total de 41 em todo o País, não cumpriram, no mês de janeiro, todas as nove metas de qualidade estabelecidas pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). De acordo com o balanço divulgado pelo órgão regulador, os problemas estão concentrados nas taxas de chamadas não completadas e no atendimento ao público, seja por telefone ou nas lojas das empresas. O desempenho das operadoras piorou em relação ao mês de dezembro, quando 11 delas deixaram de cumprir alguma meta. O descumprimento de metas de qualidade até junho de 2001 não representa punições para as operadoras. A partir do segundo semestre deste ano, o cumprimento de todos os indicadores passará a ser obrigatório. As operadoras de telefonia celular da região Norte foram as que mais apresentaram problemas para cumprir as metas de qualidade do mês de janeiro. As empresas da banda A de Roraima, Amazonas, Amapá, Pará e Maranhão estão fora dos indicadores de qualidade que medem a taxa de atendimento ao público pelo telefone e na taxa de resposta ao usuário via carta. A Norte Brasil Telecom, que presta serviços na banda B na mesma região apresenta problemas para completar as ligações. A NBT está abaixo da meta neste indicador há sete meses. A TCO, que atua na banda A na região Centro-Oeste e parte da região Norte, cumpriu os nove indicadores no Distrito Federal, Goiás e Mato Grosso do Sul. A empresa deixou de cumprir o indicador de chamadas completadas nos Estados Rondônia e Acre, e também apresentou problemas na taxa de resposta ao usuário via carta no Estado do Mato Grosso do Sul. A Americel, operadora da banda B nesta região, cumpriu todos os itens.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.