Telefonia celular respondeu por 2,47% do PIB em 2006

O setor de telefonia celular teve, em 2006, participação de 2,47% no Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil. É o que mostra estudo elaborado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) a pedido da Associação Nacional das Operadoras Celulares (Acel). O impacto do setor na economia brasileira vem crescendo nos últimos anos. Para se ter uma idéia, em 2001 a participação da telefonia celular no PIB era de 1,75%.Para calcular esses porcentuais, a FGV levou em conta fatores como os investimentos feitos pelas empresas, a movimentação econômica na cadeia produtiva e as taxas e tributos pagos pelo setor.O economista da FGV Márcio Lago Couto, que apresentou o estudo durante o 2º Acel Expo Fórum, em Brasília, destacou os investimentos feitos pelas operadoras instaladas no Brasil. No acumulado de 2000 a 2006, as empresas desembolsaram o equivalente a 27,5% de suas receitas líquidas. "Esse dinheiro foi usado, principalmente, na expansão da rede", disse Couto. Nesse mesmo período, a geração de caixa medida pelo Ebitda (na sigla em inglês, lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) totalizou 24,2% da receita líquida. Ou seja, os investimentos superaram a geração de caixa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.