Telefonia é líder em reclamações

Apesar dos avanços que algumas operadoras de telefonia promoveram no atendimento ao consumidor, elas continuam a liderar o ranking de reclamações em Procons de vários Estados. Só em São Paulo foram registradas entre janeiro e julho 18.096 consultas e 3.659. As maiores queixas eram referentes a vício de qualidade, dúvida sobre cobrança ou cobrança indevida e serviço não fornecido.No ano passado, as reclamações em São Paulo chegaram a totalizar 25.544, ou seja, um número bastante superior, mas o processo vivido pelos usuários para resolver seus problemas é um desgaste. Todas as operadoras têm queixas registradas, inclusive as de telefonia celular. Em outros Estados, a situação não é diferente. No Rio e em Minas Gerais as telefônicas locais são líderes em número de queixas, embora os especialistas reconheçam que algumas empresas estão empenhadas em melhorar o atendimento.Já a Embratel está sendo criticada duramente pelos Procons, que não vêem muita disposição da companhia para resolver os problemas dos clientes. O maior prejuízo para a empresa, porém, está vindo da concorrência com a sua espelho, Intelig, que já começa a roubar alguns de seus clientes por causa do atendimento considerado abaixo do esperado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.