finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Telefonia quer reajustar preços em 21%

As holdings de telefonia fixa Embratel, Telefônica, Telemar e Brasil Telecom travam uma queda-de-braço com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) para reajustar, em cerca de 21%, as tarifas das ligações telefônicas feitas das linhas fixas para os celulares.O presidente da Anatel, Renato Guerreiro, admitiu conceder ainda este mês um aumento máximo de 9,5% para estes serviços. As empresas alegam que estão com as tarifas defasadas desde julho de 1998, quando houve a privatização do Sistema Telebrás. "O porcentual a ser concedido é o teto e não será igual para todas as operadoras", afirmou. As novas tarifas de telefonia fixa não se aplicam para as empresas-espelho Intelig, Vésper São Paulo, Vésper S.A. e Global Village Telecom (GVT). Isso porque os preços não são controlados pela Agência reguladora.Estas empresas apenas apresentam à Anatel as tarifas que pretendem praticar para determinados serviços. Os porcentuais de reajustes devem ser definidos nos próximos dias e entram em vigor no início de fevereiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.