finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Telefônica condenada por venda casada

A Justiça de Bauru (SP) determinou que a Telefônica deixe de exigir que usuários do Speedy contratem paralelamente um provedor de acesso à internet. A prática foi considerada venda casada. A empresa tem 30 dias para comunicar a desobrigação aos seus 1,8 milhão de assinantes. Também terá de ressarcir gastos dos clientes com provedor, acrescidos de juros e correção, a partir de setembro de 2003. A Telefônica pretende recorrer.

O Estadao de S.Paulo

07 de agosto de 2029 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.