Telefônica disputou GVT com a Vivendi

A GVT foi alvo de uma disputa entre a francesa Vivendi e a espanhola Telefônica, no ano passado. Em setembro de 2009, a Vivendi ofereceu R$ 5,4 bilhões pela GVT, ou R$ 42 por ação, depois de ter negociado com os controladores. Depois disso, a Telefônica fez uma oferta hostil à operadora, que chegou a R$ 50,50 por ação.

, O Estado de S.Paulo

31 de julho de 2010 | 00h00

No fim, a Vivendi acabou comprando a empresa a R$ 56 por ação, o que equivale a R$ 7,2 bilhões. A operação de compra da empresa é alvo de investigação pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), pois, em 2 de dezembro, a Vivendi anunciou que tinha 29,9% da GVT e opções de compra que, se fossem exercidas, chegariam a 53,7% do total do capital.

O anúncio fez com que a Telefônica cancelasse um leilão de compra de ações na bolsa de São Paulo.A CVM questionou a empresa sobre o tipo de opções e sobre que as tinha vendido.

A derrota da Telefônica na briga pela GVT fez com que a empresa acelerasse o processo que desembocou na compra da fatia da Portugal Telecom na Vivo, esta semana. Com a compra, os espanhóis reforçaram a presença no Brasil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.