Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Telefônica espera aprovação do negócio pela Anatel em 45 dias

Limitadas sobreposições geográficas nas operações e complementaridade dos negócios favorecem para o aval

Tatiana Freitas, da Agência Estado,

07 de outubro de 2009 | 16h58

A Telefônica não vê problemas na análise da compra da GVT pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e espera, inclusive, que o negócio seja aprovado em 45 dias - prazo previsto para o encerramento da oferta pública voluntária para aquisição de até 100% das ações da GVT. A aprovação pela Anatel é uma das condições para a transação. "É possível que o negócio seja aprovado pela Anatel em um prazo inferior a 45 dias", afirmou nesta quarta-feira, 6, o vice-presidente de Finanças da Telefônica, Gilmar Camurra.

 

Veja também:

linkTelefônica faz oferta de R$ 6,5 bilhões para comprar a GVT

linkEventual compra da GVT deverá ser submetida à Anatel

linkTelefônica não vê 'embaraço' para aprovar compra da GVT

linkProcon abre processos contra a Telefônica

 

Limitadas sobreposições geográficas nas operações de GVT e Telefônica (a primeira tem negócios centralizados na região Centro-Oeste e Sul do País - área de concessão da Brasil Telecom -, enquanto a segunda atua apenas em São Paulo na telefonia fixa) e a complementaridade dos negócios são apontados pela companhia como justificativas para o seu posicionamento otimista quanto à aprovação da Anatel.

 

Além disso, os últimos movimentos de consolidação no setor, com a união das operações entre Brasil Telecom e Telemar, também sugeriria que a Anatel apoia a criação de competidores mais fortes no mercado brasileiro de telecomunicações.

 

Durante teleconferência com analistas estrangeiros realizada para comentar a oferta pela GVT, Camurra afirmou que a compra da GVT não precisa ser aprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Tudo o que sabemos sobre:
TelefônicaGVTAnatel

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.