Telefônica lucra R$ 937 milhões no 1.º semestre

Mesmo com redução das linhas em serviço, o lucro líquido da Telesp - Telecomunicações de São Paulo S.A. (Telefônica) avançou 95,2% no primeiro semestre do ano, somando R$ 937 milhões. No mesmo período de 2003, a empresa havia lucrado R$ 480 milhões. Segundo comunicado, o resultado reflete a maior estabilidade da economia e redução de despesas financeiras. O total de linhas em serviço manteve sua trajetória de queda, passando de 12,402 milhões ao final de junho de 2003 para 12,221 milhões. Com isso, a teledensidade (linhas por 100 habitantes) passou de 32,2% para 31,1%. A tendência de queda pode ser revertida neste trimestre, depois de a empresa ter lançado planos alternativos mais baratos, ampliando a demanda por novas linhas. "Estamos nos estruturando para uma fase em que serão privilegiadas cada vez mais a competição e a consolidação de operadoras, com as conseqüentes melhorias que virão com isso", afirmou à Agência Estado o presidente do Grupo Telefônica no Brasil, Fernando Xavier Ferreira, antes da divulgação do resultado. A receita líquida da empresa avançou 18% entre janeiro e junho, comparada com o mesmo período do ano passado, atingindo R$ 6,437 bilhões. Entre os principais motivos ficou o crescimento dos serviços de valor adicionado, como o Speedy (acesso rápido à internet) e o Detecta (identificador de chamadas), e dos negócios com longa distância. No fim do primeiro semestre, havia 605,5 mil clientes do Speedy, um aumento de 58% sobre os primeiros seis meses de 2003. Segundo a operadora, o Estado de São Paulo é a região com maior densidade de banda larga na América Latina. A margem do lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) diminuiu 1,4 ponto porcentual, por causa do aumento nos pagamentos de interconexão de redes e de serviços de terceiros. Essa margem, que ficou em 44,1%, é calculada dividindo-se o Ebitda pela receita. O total do Ebitda avançou 14,5%, para R$ 2,840 bilhões. No segundo semestre, a Telefônica planeja investir R$ 800 milhões, comparados a R$ 600 milhões nos primeiros seis meses do ano. Este mês, a Telefônica lançou os planos mais baratos, chamados Linha da Economia e Super Economia, com assinatura reduzida e cartões pré-pagos. Segundo a empresa, em apenas uma semana, a venda diária de linhas dobrou, chegando a 9,4 mil terminais em um único dia. A operadora habilitou, em média, 300 novas linhas por hora.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.