Telefônica quer apresentar plano esta semana

Presidente da empresa foi ontem a Brasília falar sobre as providências para regularizar seu serviço de banda larga

Renato Cruz, O Estadao de S.Paulo

25 de junho de 2009 | 00h00

Ainda esta semana, a Telefônica planeja apresentar à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) seu plano para garantir a retomada das vendas do Speedy, seu serviço de banda larga. Na segunda-feira, a agência paralisou as vendas por causa de várias panes recentes e exigiu que a empresa apresentasse um plano. O presidente da operadora, Antonio Carlos Valente, visitou ontem o presidente da Anatel, embaixador Ronaldo Sardenberg, e o ministro das Comunicações, Hélio Costa, em Brasília. "Falamos que não vamos entrar com nenhum tipo de recurso, nem administrativo nem judicial, e que vamos acelerar os investimentos", disse Valente ao Estado, por telefone. A seguir, trechos da entrevista:Por que o senhor está em Brasília?Eu conversei com o embaixador e com o ministro. Eles esperam que a gente apresente o nosso plano, o que nós provavelmente vamos fazer até o final desta semana. Teremos uma atuação bem forte para garantir esse crescimento de tráfego que está acontecendo, com essas aplicações novas que estão surgindo todos os dias.O senhor vai aumentar o investimento?O número que temos, de R$ 750 milhões, é mais ou menos o mesmo, mas isso não significa que, ao finalizar o plano, não chegaremos à conclusão de que precisamos remanejar recursos de algum outro projeto. Neste momento ainda não tenho o plano finalizado. O que eu posso dizer é que existe, obviamente, necessidade de importação de equipamentos, de desembaraço na alfândega. Algumas coisas não são imediatas, mas dentro de muito pouco tempo teremos uma rede como poucas que existem no mundo.Como o senhor vê a interpretação da Anatel de que a rede está sobrecarregada?O que eu posso dizer é que vamos fazer um investimento em todos os segmentos da rede. Vamos atuar de maneira bem forte para garantir todo esse crescimento, que não é só da nossa rede. É da rede dos outros também, que despejam tráfego em cima da rede da Telefônica. Vocês vão dispensar funcionários?A Telefônica não vai demitir ninguém. Os empregados da Telefônica têm meu compromisso em relação a isso. Nossa preocupação sempre foi com empresas pequenas que vivem de uma determinada atividade. Vou procurar encaminhar essa questão para minimizar ou impedir qualquer tipo de impacto na cadeia de prestadores de serviços.Quanto vocês estão perdendo em vendas?Isso não é relevante para a gente. Nossa preocupação era com outros atores que poderiam ser afetados. Nossa preocupação é não prejudicar ninguém que dependa da gente e apresentar um plano que seja consistente, que seja rápido, para que não exista nenhum problema. Entretanto, neste período de implementação, vamos mexer muito na rede e pode acontecer alguma coisa. Mas vamos fazer o máximo para que nada aconteça.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.