Telemar é campeã de reclamações no Rio

O Procon-RJ, órgão de defesa do consumidor ligado ao governo estadual, divulgou levantamento das queixas dos consumidores da cidade do Rio de Janeiro com base nos dados desse ano e de 1999. O estudo traz os 25 setores em que houve mais queixas dos consumidores, listando as duas empresas mais criticadas em cada área (Veja a lista completa no link abaixo). Segundo o Procon-RJ, a Telemar e a Credicard foram, respectivamente, campeã e vice-campeã de reclamações. As duas mantiveram as mesmas posições de 1999. A pesar de ser a líder, o número de queixas contra a Telemar diminuiu 25% em 2000, se comparado o ano anterior. Em 1999 foram 15.496 queixas e em 2000, 11.586. Os consumidores reclamam da dificuldade das instalações e das não transferências de linhas. Diferentemente da Telemar, o número de queixas contra a Credicard aumentou 12% em 2000, se comparado com o ano passado. Em 2000, 3.170 usuários reclamaram do cartão, em 1999 foram 2.824. A maior queixa: negociação da dívida. Telefonia foi o setor que teve maior crescimento do número de queixasNa análise dos setores, o segmento de telefonia, tanto fixa como de longa distância e celular, teve destaque na pesquisa o Procon-RJ. O número de queixas contra a Embratel, por exemplo, aumentou 3.100% esse ano em relação a 1999, passando de 39 para 1.248. A empresa no ano passado não estava entre as 10 eleitas, mas no novo ranking passa ocupar o quarto lugar. O problema mais apontado pelos usuários é a cobrança indevida de interurbanos e de ligações não efetuadas. O Procon-RJ informa que o aumento de 3.100% ocorreu porque as contas da empresa só passaram a ser cobradas diretamente do consumidor este ano. "O crescimento de 39 para 1.248 reclamações ocorre quando a empresa passa a atender diretamente o consumidor", avalia o coordenador do Procon-RJ, Átila Nunes Neto. "Antes os problemas eram dirigidos apenas à Telemar." O coordenador ressalta que a empresa não foi ágil para atender as reclamações do consumidor. "Houve problemas com a intermediação entre o Procon-RJ e o consumidor", disse Nunes Neto. Apesar da diminuição em 31% nas queixas contra a Telefônica Celular, a empresa foi a que recebeu o maior número de multas do Procon-RJ esse ano, cerca de R$ 200 mil.Planos de saúde e eletricidade também tiveram destaqueOs planos de saúde também estão entre os vilões da lista do Procon-RJ esse ano. O número de queixas contra a Unimed do Rio aumentou em 60% em 2000 em relação ao ano passado. Os problemas principais foram o descredenciamento e o não atendimento. Em 1999, foram 112 queixas contra 180 nesse ano.O coordenador do Procon-RJ chama atenção para as queixas contra a Companhia de Eletricidade do Rio de Janeiro (Cerj), fornecedora de energia elétrica no interior do Estado, uma das líderes de queixa nos últimos dois anos. No ano passado foram 1.722 e em 2000, 1827. "Foram mais reclamações contra a Cerj do que contra a Light. ", diz Nunes Neto. Em 1999, a Light teve 842 reclamações e nesse ano, 802.Veja ainda hoje a resposta das empresas citadas aos dados fornecidos pelo Procon-RJ.

Agencia Estado,

28 de dezembro de 2000 | 10h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.