Telemar perto de acordo com grupo estrangeiro

A Telemar, empresa de telefonia que atua em 16 Estados brasileiros, pode vender 20% de seu capital para a Bell Atlantic. Fontes que acompanham de perto a negociação dizem que o grupo norte-americano tem todas as qualidades que os donos da Telemar procuram num novo sócio estratégico: é capitalizado e tem tecnologia de sobra. O diretor de Relações com Investidores da Telemar, Roberto Terziani, afirma, no entanto, não ter conhecimento da venda das ações para um sócio estratégico.A ligação da Bell Atlantic com a Telemar não é nova. Há dois meses, as empresas fecharam uma parceria operacional com a GTE Internetworking para oferecer serviços diferenciados de Internet. De acordo com o site de notícias do portal iG, executivos da Bell Atlantic chegam ao Brasil no próximo dia 13 para conhecer de perto a Telemar. Parceria em busca de lucro O consórcio que comprou a Telemar, em julho de 1998, foi formado na última hora e constituído basicamente por investidores e empresários sem experiência na área de telecomunicações. Entre eles estão os grupos Andrade Gutierrez, La Fonte, Inepar. Além desses, os fundos de pensão de estatais, BNDESPar, seguradoras do Banco do Brasil e uma empresa de participações - a Asseca, controlada por ex-donos do Banco Garantia.A avaliação dos sócios foi de que eles precisariam de um operador de telefonia de peso para garantir sua competitividade. No balanço do primeiro trimestre, divulgado no fim de abril, a empresa registrou aumento de 10% no lucro, em comparação ao período equivalente de 1999, atingindo US$ 1,3 bilhão. As negociações para encontrar um novo acionista estrangeiro que fosse do ramo de telecomunicações ficaram mais intensas nos últimos três meses. A empresa contratou o banco Lazard Féres, especializado em fusões e aquisições, para ajudar na busca do novo parceiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.