Teles devolvem valorização de ontem

As ações do setor de telecomunicações devolveram hoje toda a valorização registrada ontem, profundamente afetadas pela Nasdaq e pelo aparente vexame do IPO (oferta pública inicial) da Orange, empresa celular da France Telecom. A este tremor externo somaram-se as incertezas quanto ao futuro da base aliada ao governo no Congresso e o conservadorismo das apostas sobre a reunião do Copom, que acontece nas próximas terça e quarta-feira. Às 18 horas, a Nasdaq recuava 2,70%. O Ibovespa fechou em baixa de 1,14% e o volume financeiro somou R$ 538 mi no pregão paulista.A France Telecom foi forçada a reduzir em cerca de 18% a faixa de preço para o IPO das ações da Orange em uma decisão que levou em consideração a "crescente sensibilidade" dos investidores institucionais em relação aos preços atuais dos papéis de telecomunicações, segundo comunicado da empresa. Já a Cisco Systems informou, ontem à noite, que obteve lucro líquido de US$ 874 mi no trimestre novembro/janeiro. Exluindo itens extraordinários, a empresa registrou um lucro pro-forma de US$ 0,18 por ação, resultado que ficou abaixo da previsão dos analistas, que era de US$ 0,19 por ação.Previsivelmente, as teles lideraram o rol das maiores perdas do Ibovespa. Tele Celular Sul ON caiu 5,59%, a lanterninha do índice da carteira teórica paulista, seguida de Inepar PN (-4,75%). Tele Leste Celular PN (-3,82) foi a quarta maior baixa e Tele Celular Sul PN (-3,64%), a quinta. Na lista das maiores altas, destaque para as elétricas. Transmissão Paulista PN subiu 4,09% -o processo de absorção da EPTE foi deflagrado ontem-; Gerasul ON ganhou 2,37%, Cesp PN, +1,08%; e Eletrobrás PNB, +0,26%.O contraponto positivo ao dia ruim veio da Fundação Getúlio Vargas. A primeira prévia do IGP-M de fevereiro registrou deflação de 0,05%, supultando os boatos de repique de preços neste início de mês.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.