Teles e bancos lideram lista de reclamações em São Paulo

O setor de telefonia continua na liderança da lista das 30 maiores empresas que mais receberam reclamações dos consumidores, divulgada anualmente pelo Procon de São Paulo. Das 12.098 total de reclamações, as telefônicas ficaram com 39% das queixas.Os bancos receberam 19% das queixas, seguidos pelos planos de saúde (9%), cartões de crédito (9%), capitalização (6%), telemarketing (3%), água e esgoto (3%), energia elétrica (3%), cartões de desconto (3%), clubes (3%), revistas (3%).A telefonia também lidera a lista de empresas com mais queixas em números absolutos. Nesse caso, a primeira posição ficou com a Telefônica, que teve 1.042 queixas e atendeu 966 (92%). A Vivo ficou em segundo, com 661 reclamações e 325 delas atendidas (49,1%). A Embratel apareceu em quinto, com 318 queixas e 260 delas atendidas (81%). De acordo com o diretor executivo do Procon-SP, Gustavo Marrone, os dados de 2004 trazem uma inversão em relação aos anos anteriores: a telefonia móvel superou a telefonia fixa. Segundo ele, trata-se de um reflexo do crescimento dos celulares.Para contornar o problema, o Procon programou para este ano a criação de uma câmara temática, onde serão reunidos em um mesmo grupo de discussão representantes da indústria de telefonia móvel e de órgãos de defesa do consumidor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.