Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Teles precisam resolver sobrecarga, diz Bernardo

Segundo o ministro, algumas companhias ‘estão acomodadas, só olhando as coisas acontecerem’ 

Eduardo Rodrigues, da Agência Estado,

20 de março de 2012 | 17h37

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, disse nesta terça-feira que as companhias de telecomunicações precisam aumentar seus investimentos para dar conta do grande aumento no número de usuários de serviços de banda larga e telefonia. Segundo ele, algumas companhias "estão acomodadas, só olhando as coisas acontecerem".

"Recebemos muitas críticas de que os serviços não funcionam como o usuário gostaria. As empresas venderam muito mais linhas do que na realidade investiram pra atender a essa demanda", afirmou Bernardo durante uma audiência pública na Comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara dos Deputados. "Essa sobrecarga precisa ser resolvida com investimentos crescentes", completou.

O ministro citou o novo regulamento de qualidade da banda larga aprovado no ano passado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), que aumenta as exigências de entrega de velocidades de internet mais próximas às contratadas pelos usuários. "É preciso fazer grandes investimentos para atender tanto na tecnologia 3G como na 4G que será licitada ainda no primeiro semestre", acrescentou Bernardo.

Por isso, destacou o ministro, o governo ainda pretende lançar finalmente a medida de desoneração para a construção de linhas de fibras ópticas. O estímulo fazia parte do plano Brasil Maior lançado em agosto de 2011 pela presidente Dilma Rousseff, mas até hoje não saiu do papel.

"Até ano passado tínhamos o aval do Ministério da Fazenda, mas, nas discussões no Congresso sobre o orçamento de 2012, surgiu a exigência de especificar de onde viria a arrecadação para compensar essa desoneração. Mas já estamos quase no ponto para editarmos uma Medida Provisória", concluiu.

Tudo o que sabemos sobre:
TelesinvestimentosBernardo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.