Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Teles temem fuga de investimento com fim da assinatura

O presidente da Associação Brasileira de Prestadoras de Serviço Telefônico Fixo Comutado (Abrafix), José Fernandes Pauletti, disse hoje, após reunião com o ministro das Comunicações, Hélio Costa, que a melhor forma de reduzir a tarifa da assinatura básica da telefonia fixa é aquela que não espanta investimentos. "A forma mais adequada é a que mantém a sustentabilidade do setor e das empresas e que permita que os investimentos continuem acontecendo", afirmou em resposta ao pedido do ministro para que as empresas analisem medidas para baratear o serviço.Ele disse que precisa analisar os números para ter uma definição se será possível baixar gradualmente os preços da assinatura. "Dependendo da forma, é possível", afirmou. Sobre a idéia do governo de se acabar com a franquia mensal de 100 pulsos, Pauletti disse que as empresas já oferecem planos alternativos, como uma assinatura mais barata sem a franquia.Ele foi o único representante das concessionárias de telefonia fixa a se manifestar após a reunião. Os dirigentes das grandes empresas não deram entrevista. Do encontro participam representantes da Brasil Telecom, Telefônica, Telemar, CTBC Telecom, Sercomtel, GVT, Embratel e Intelig.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.