coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Telesp Celular surpreende com aumento de capital

A Telesp Celular anunciou a intenção de elevar seu capital em até R$ 2,5 bilhões, surpreendendo negativamente o mercado pela magnitude da operação, mas principalmente pelas condições. Segundo analistas, os termos são prejudiciais aos minoritários, o que fez as ações em Bolsa desabarem.A expectativa da operação fez os papéis da empresa amargarem queda próxima a 10% somente nos dois últimos pregões da semana passada. Com o anúncio oficial, a perda média das ações superou 6% ontem. Entre as condições anunciadas está a de que o aumento de capital será em duas etapas, e os detentores de ações preferenciais (PNs, sem direito a voto) ficarão de fora da primeira.Especialistas explicaram que isso não estava nas expectativas e enfatizaram que a notícia é bastante negativa. Haverá uma diluição mínima de 30% para os acionistas detentores de papéis PN, de acordo com a analista da Itaú Corretora, Roberta Kosaka.A primeira tranche (emissão) da operação da Telesp Celular será para equalizar o capital social da empresa entre as ações ordinárias (ONs, com direito a voto) e as preferenciais (PNs). Dessa forma, as PNs que, hoje representam 65% do capital, passarão para 50%. As condições estão de acordo com a nova Lei das S.As.A outra fatia da operação contará com a emissão de ONs e PNs e será aberta a todos os investidores da companhia. O valor de cada tranche e o preço de emissão das ações serão conhecidos somente em 16 de abril. Para Roberta, da Itaú Corretora, as ações não possuem potencial de ganho na Bolsa até que saia o preço de subscrição.A diretora de Relações com Investidores da Telesp Celular Participações, Maria Paula Canais, explicou que os recursos do aumento de capital serão usados, em grande parte, para pagar a dívida em moeda estrangeira da subsidiária Global Telecom, adquirida no início de 2001. O endividamento total da companhia é de R$ 2,3 bilhões, sendo R$ 2 bilhões em dólares.Além do aumento de capital, também colaborou para a frustração dos investidores uma provisão de R$ 278,8 milhões no balanço de 2001, prejudicando o resultado final. Comunicada na sexta-feira à noite, a medida fez com que o prejuízo de R$ 1,1 bilhão no ano passado, anunciado ontem, ficasse acima das previsões. Em 2000, a companhia teve lucro de R$ 152,2 milhões. A provisão, de acordo com a Telesp Celular, representa uma proteção contra perda de investimentos na Global Telecom.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.