Telesp dá direito de ações a pecetistas

A resolução da Telefónica de tornar disponíveis ações da Telesp para quem adquiriu linha telefônica por meio do Programa de Planta Comunitária de Telefonia (PCT) possibilita, agora, que esses assinantes, chamados pecetistas, participem do programa de troca de ações da Telesp por Brazilian Depositary Receipts (BDRs) da empresa espanhola em igualdade de condições com os demais acionistas.Os direitos vão ser convertidos em ações até o dia 26. Por isso, é bom prestar atenção ao prazo do processo de troca, em vigor até 30 deste mês. Analistas de mercado sugerem a quem optar pela venda que também obedeça esse tempo, pois é provável que após esse período o preço das ações caia. Aprovação impediu que pecetistas perdessem dinheiro De acordo com a Associação Nacional dos Investidores do Mercado de Capitais (Animec) - entidade que representa os pequenos acionistas - os investidores perderiam dinheiro caso não fosse aprovada a operação. Em contrapartida, a Telefónica embolsaria, no total, R$ 61 milhões.O desfalque ocorreria porque a Telefónica calculou o número de ações de cada assinante brasileiro, tendo em vista a média dos dez últimos pregões do mês de fevereiro que antecederam a assembléia realizada em Madri, na Espanha, considerando o valor de mercado das ações negociadas naquele país. Para cerca de 200 mil pecetistas no Estado, que compraram linha pelo preço de R$ 1.117,63, o número de ações a que teriam direito equivaleria a uma média de 18.220. Feitas as contas, considerando a assembléia realizada na semana passada, esse número sobe para 24.355 ações, ou mais R$ 305,52.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.