Telesp: poucos negócios reduzem ganhos

As ações preferenciais (PN, sem direito a voto) da Telesp voltaram para o Ibovespa - Índice que mede a valorização das ações mais negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). Desde o dia 1º de setembro, os papéis da companhia representam 0,598% do Índice. De acordo com os analistas, a participação dessas ações no Índice é muito pequena e isso pode comprometer as perspectivas de valorização. "A tendência é de que o volume de negócios com a ação continue muito baixo. Além disso, a Telefónica de Espanha, controladora da Telesp, tem repassado poucas informações para os investidores, o que não deve mudar. Esse fato reduz o interesse dos investidores por essa aplicação", afirma Roseli Machado, diretora de gestão da corretora Fator Dória Atherino.No caso das ações da Telesp, a falta de liquidez, ou seja, o baixo volume de negócios é diferente para o pequeno e para o grande investidor. "Para o grande investidor o volume de papéis dessa empresa disponível no mercado é insuficiente para compor uma carteira de investimentos. Com isso, ele deixa de comprar as ações", afirma Júlio Ziegelmann, diretor de renda variável da BankBoston Asset Management.Ele explica que, para o pequeno investidor, o volume de negócios não é baixo. Mas como o papel não atrai negócios com grandes investidores, a possibilidade de ganhos expressivos com essa ação é reduzida. "Não recomendamos a compra do papel pois, mesmo com uma perspectiva de valorização em torno de 30% em um ano, esse cenário pode se alterar muito, devido à falta de interesse pela ação", declara Ziegelmann. Ele define como preço-alvo para o papel o valor de R$ 42,00. Pela cotação de quarta-feira, a ação era vendida a R$ 32,41.Mesmo para quem já tem a ação, ficar com o papel pode representar um risco muito grande. Isso porque, na hora de vender a ação, existe a possibilidade da falta de compradores. Mas, caso o investidor aceite correr esse risco, há a boa perspectiva de valorização do papel. Veja as melhores opções no setor de telecomunicaçõesPara quem pretende vender as ações da Telesp e continuar com o dinheiro investido em ações, os analistas apontam outras boas opções dentro do setor de telecomunicações. Ricardo Mattei, gerente de análise do Banco Brascan, indica os papéis da Brasil Telecom - antiga Telepar. De acordo com o executivo, a perspectiva de valorização dessas ações é de 66,89% em um ano. "Os papéis da Brasil Telecom devem ser beneficiados por uma operação de split, ou seja, elas serão fracionadas. Nesse caso, haverá uma divisão em 40 partes, assim como o preço, e isso aumenta a possibilidade de negócios com o papel", explica. Roseli, da Fator Dória Atherino, recomenda a compra de papéis da Telemar. Na quarta-feira foram vendidos a R$ 47,05. A expectativa da executiva é de que, daqui a um ano, estarão cotadas a R$ 56,00, o que representa uma valorização de 19,02%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.