Dimitris Michalakis/Reuters
Dimitris Michalakis/Reuters

Temendo retorno ao dracma, gregos usam bitcoin

População adere à moeda eletrônica para não ver seu dinheiro desvalorizado; com os bancos fechados, falta de troco se tornou mais um problema para os comerciantes na Grécia

Reuters

03 de julho de 2015 | 13h11

Há ao menos uma forma legal de tirar euros da Grécia nos últimos dias e protegê-los contra a perspectiva de desvalorização ou retorno ao dracma: convertê-los em bitcoins.

Apesar de números absolutos serem difíceis de ser encontrados, houve aumento do interesse dos gregos pela chamada "criptomoeda" online, que não é controlada por autoridades monetárias e pode ser transferida por smartphone.

O número de novos clientes depositando ao menos € 50 na BTCGreece, a única bolsa de bitcoin no país (aberta apenas para gregos) subiu 400% entre maio e junho. De acordo com seu fundador Thanos Marinos, o total de clientes chega a "poucos milhares". A média de depósitos quadruplicou para cerca de € 700.

O uso do bitcoin pode permitir que os gregos façam o que os controles de capitais determinados nesta semana pretendem evitar: retirar dinheiro de suas contas bancárias e, se desejarem, do país.

"Quando as pessoas tentam retirar dinheiro do país e o Estado está impedindo que isso ocorra, o bitcoin é a única forma de transferir algum valor", disse Adam Vaziri, membro do conselho da associação UK Digital.

"Não há outras opções a menos que se compre diamantes, e isso é muito difícil de transferir."

Falta de troco. Eleni Katsamaki, que mantém uma barraca de frutas e legumes em um mercado de Piraeus, nos arredores de Atenas, está sofrendo de modo especialmente agudo um dos aborrecimentos diários do fechamento dos bancos gregos. Ninguém tem troco.

"Nós definitivamente temos um problema com moedas", disse ela perto de um carrinho cheio de tomates. "Todos estão vindo com notas de € 20 que sacaram dos bancos."

Com os saques nos caixas automáticas racionados para um máximo de € 60 por dia, e os bancos fechados desde segunda-feira, o abastecimento de moedas e notas está diminuindo rapidamente.

Em muitos casos, o limite diário de € 60 na prática caiu para € 50 porque o fornecimento de notas de € 20 praticamente se esgotou, deixando lojas que vendem itens do dia a dia em pequenas quantidades com dificuldades para lidar com os pagamentos dos clientes.

"Felizmente eu tinha alguma reserva de troco, mas está acabando", disse Eleni. "Daqui a pouco posso não ter condições de dar troco algum. Isso é um problema!"

O centro da cidade de Atenas, onde um grande número de turistas chega trazendo dinheiro trocado, parece menos afetado. Os varejistas que aceitam pagamentos com cartão, que estão permitidos, também têm menos problemas, observou Spyros Haritakis, que trabalha em um posto de gasolina.

"Há certamente menos dinheiro do que nas semanas anteriores. Felizmente aqui as pessoas pagam com cartão ou em quantias redondas, com notas, por isso o problema não é tão grave", disse. “As lojas que vendem pequenos itens de uso cotidiano são as mais prejudicadas”, disse.

(Por Jemima Kelly e Lefteris Karagiannopoulos)

Tudo o que sabemos sobre:
Gréciabitcoin

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.