Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Temer diz que não há risco de crise cambial no Brasil

Presidente ressaltou valor de R$ 380 bilhões em reservas cambiais e que depreciação também atingiu outros emergentes

Marcelo Osakabe, O Estado de S.Paulo

07 Junho 2018 | 19h51

Após um dia conturbado, em que dólar comercial encerrou acima dos R$ 3,90, o presidente Michel Temer minimizou nesta quinta-feira, 07, os temores de que o Brasil possa passar por uma crise cambial.

+ BC descarta aumentar Selic para controlar taxa de câmbio

"Não há risco de crise cambial no Brasil", disse o emedebista, que concedeu entrevista à TV Brasil nesta quinta-feira. Temer lembrou que o Brasil possui US$ 380 bilhões em reservas cambiais e que a depreciação foi um fenômeno que não se restringiu apenas ao Real, mas afetou também outras moedas de outros Países emergentes, como México, Argentina e Colômbia.

+ Dólar caminha para o quinto mês de alta e passa de R$ 4,30 para o turista

O dólar comercial encerrou a sessão desta quinta-feira no maior patamar desde março de 2016. A moeda norte-americana chegou a encostar nos R$ 3,97. Na mesma linha , o Ibovespa encerrou em queda de 2,98%. Operadores do mercado financeiro dizem que não há um fato novo capaz de justificar um mudança desse tamanho nos ativos brasileiros, mas citaram como fatores negativos as concessões feitas às reivindicações dos caminhoneiros, que colocaram em dúvida a capacidade de o governo ajustar suas contas.

+ Com mercado turbulento, analistas questionam se BC está com 'mão fraca' no câmbio

O presidente defendeu a atuação do governo durante a paralisação dos caminhoneiros e negou que o tabelamento do frete, alvo de reclamações de parte do setor produtivo, possa se estender a outros setores da economia. "De jeito maneira (faremos tabelamento de preços)", disse.

O emedebista reconheceu as críticas à medida, mas afirmou que o governo está avaliando "adaptações" no modelo, que foi proposto antes da chegada da crise econômica e que, por isso, está desatualizada em relação à oferta e demanda de serviços de frete atual.

Mais conteúdo sobre:
Michel Temer dólar câmbio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.