DIDA SAMPAIO/ESTADÃO
DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Temer diz que vai flexibilizar a Reforma da Previdência

Segundo o presidente, o relator da matéria, deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA) tem trazido ponderações dos parlamentares em relação a alguns pontos

Carla Araújo, O Estado de S.Paulo

06 de abril de 2017 | 11h16

BRASÍLIA - O presidente Michel Temer - que está tendo reuniões esta manhã para tratar da Reforma da Previdência - disse, em entrevista à radio Bandeirantes, que o governo já admite "flexibilizar a reforma da Previdência". "Estava conversando sobre a reforma da Previdência, permitindo que se faça as alterações necessárias, porque isso faz parte do diálogo do Legislativo com o Executivo" , afirmou.

Segundo o presidente, o relator da matéria, deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA) tem trazido ponderações dos parlamentares em relação a alguns pontos como a aposentadoria rural e os benefícios de prestação continuada. Temer afirmou que deu permissão para que se façam "os acordos necessários nesses tópicos, desde que se mantenha a idade mínima".

Ao ser questionado sobre as dificuldades para parlamentares apoiarem o governo em medidas impopulares por conta do processo eleitoral, Temer afirmou: "nós vamos flexibilizar as regras, o aposentado não terá prejuízo nenhum". Disse ainda que os direitos adquiridos não serão retirados. "No sistema que nós estamos fazendo a aposentadoria será até maior do que hoje", completou, ressaltando que atualmente a média paga nas aposentadoria é de 76% a 80% e que quase ninguém recebe o benefício integral.

Temer disse que, no caso da terceirização, o projeto foi "absolutamente por conta do congresso", mas que ele examinou a matéria com "muito cuidado" para não causar prejuízos ao trabalhador. Ele reforçou que pela previdência sim o governo está atuando e trabalhando para obter os 308 votos necessários para sua aprovação na Câmara.

O presidente lembrou ainda que no caso da aprovação da PEC do teto dos gastos, que também era uma matéria difícil, o governo conseguiu 366 votos e no Senado o mesmo porcentual". "Em todas as medidas que estamos propondo temos tido apoio."

Apesar da confiança do presidente, a atualização do Placar da Previdência, levantamento realizado pelo Grupo Estado com deputados a respeito de reforma que tramita na Câmara, mostra que o número de parlamentares contrários à proposta subiu para 251, enquanto os que são a favor caíram para 95. Às 8h27, havia 35 indecisos; 54 não quiseram responder; 77 não foram encontrados e um disse que deve se abster.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.