Temer enviou e-mail a vice-presidente afastado, diz auditoria

Temer enviou e-mail a vice-presidente afastado, diz auditoria

Investigação independente encontrou e-mail enviado por Michel Temer, quando ainda era vice-presidente da República, para Roberto Derziê, um dos afastados do comando do banco

Fabio Serapião, O Estado de S.Paulo

17 de janeiro de 2018 | 09h32

No relatório final de investigação independente contratada pela Caixa, o escritório Pinheiro Neto cita um e-mail do gabinete do então vice-presidente da República, Michel Temer, para o vice-presidente afastado do banco Roberto Derziê. “Conforme contato telefônico, segue o pleito para Superintendente Regional de Ribeirão Preto -SP”, diz a mensagem assinada com: “atenciosamente, Michel Temer”.

Como resposta, o então VP de Operações Corporativas da Caixa diz que o pedido seria tratado com prioridade. Indagado pela auditoria sobre o e-mail, Derziê afirmou “que se tratava de uma indicação de uma pessoa para o cargo de Superintendente da Região de Ribeirão Preto” e que o nome foi encaminhado para o VP de Clientes, Negócios e Transformação Digital José Henrique Marques da Cruz, que também foi afastado. Segundo Derziê, Cruz teria dito que era o “centésimo pedido” pelo mesmo nome.

++Afastados pela Caixa podem ser indicados de novo

O e-mail assinado por Temer é datado de 28 de outubro de 2015. O Palácio do Planalto afirma que Temer não envia e-mails e que funcionários cuidam do correio eletrônico. O Estado questionou quem então teria enviado a mensagem, mas o Planalto não respondeu.

++'Cunha nomeou todo o governo Temer', diz Renan Calheiros no Twitter

Em 6 de abril de 2016, a Caixa nomeou como superintendente regional de Ribeirão Preto Demerval Prado Júnior. O Estado apurou que Júnior é apadrinhado político do deputado Baleia Rossi (MDB-SP), líder do MDB na Câmara e filho de Wagner Rossi, ex-ministro da Agricultura e amigo pessoal de Temer. Baleia Rossi nega a indicação. 

Segundo a Caixa, o superintendente foi nomeado “após exercer a função de gerente regional por mais de dez anos e ser aprovado em processo seletivo interno, de abordagem técnica e curricular para o cargo de superintendente regional”.

Temer determinou que a Caixa afastasse quatro VPs, entre eles Derziê e Cruz, na terça-feira, 16. A ordem foi dada após divulgação da recomendação do Banco Central pelo afastamento e do ofício dos procuradores da Greenfield à procuradora-geral da República, Raquel Dodge, endereçado ao presidente Temer.

++Auditoria aponta risco na relação de ex-superintendente da Caixa com Rodrimar

No documento, os investigadores alertavam que Temer poderia ser responsabilizado por futuros crimes cometidos pelos VPs da Caixa a partir do dia 26 de fevereiro, prazo final dado pelo MPF para que o Planalto afastasses os executivos.

Questionado sobre a relação com Temer, Derziê disse que conversou “poucas vezes” com o presidente no Palácio do Jaburu e que ia à residência oficial da vice-presidência “tratar da liberação de emendas parlamentares”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.