Marcos Corrêa/PR
Marcos Corrêa/PR

Temer minimiza crise e diz que País está deixando recessão para trás

Presidente afirmou que Brasil está completando a travessia iniciada após o impeachment de Dilma Rousseff

Ricardo Galhardo, O Estado de S.Paulo

29 de maio de 2017 | 23h01

O presidente Michel Temer deixou a crise política de lado e manteve o foco na agenda de reformas econômicas durante jantar com empresários que participam do Fórum de Investimentos Brasil 2017, na noite desta segunda-feira, em um hotel em São Paulo.

Em tom ufanista, Temer disse que o Brasil está deixando para trás a pior recessão de sua história e reduziu a crise intensa deflagrada pela delação da JBS a "desafios circunstanciais e acidentais".

Temer diz a executivos estrangeiros que agenda econômica será mantida

"Vejam que tudo é comemoração, inclusive, por esses gestos, esses aplausos, nós estamos comemorando o sucesso extraordinário do que fizemos até agora", disse Temer, depois de ouvir falar de vários dos empresários presentes, na maioria mais preocupados com a continuidade das reformas trabalhista e da Previdência do que com a crise provocada pela delação da JBS.

Segundo o presidente, o País está completando a "travessia" iniciada depois do inmpeachment da presidente cassada Dilma Rousseff. 

"Os senhores sabem que há um ano nós começamos uma travessia e nós já avançamos muito, não é? Nós estamos fazendo o que não se fazia neste País, meus senhores e minhas senhoras, há mais de 20 anos. E agora nós estamos completando a travessia", afirmou.

FINANCIAL TIMES: 'Ninguém nunca acreditou que Temer fosse santo'

Acompanhado de vários ministros e de tucanos como o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, o prefeito, João Doria e o presidente do PSDB, Tasso Jereissati, Temer exaltou as realizações econômicas deste um ano de governo e minimizou as dificuldades políticas. 

"A inflação está sob controle, nós criamos condições para a redução responsável dos juros e a economia voltou a crescer, o emprego começa a recuperar-se. E deixamos para trás, meus senhores e minhas senhoras, a maior recessão da história brasileira. Nós sabemos, e todos sabemos aqui, não vamos ignorar este fato, que os desafios ainda são muitos, mas nós não tenhamos dúvida: o Brasil é muito maior do que todos esses desafios circunstanciais, acidentais, que ocorrem nos últimos tempos", disse o presidente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.