Temer realça ações do governo para estimular economia

O vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), saiu em defesa na quinta-feira dos programas de estímulo à economia, em especial do chamado PAC Equipamentos, lançado na véspera pela presidente Dilma Rousseff. "Pessimista seríamos se o poder público não estivesse fazendo nenhuma espécie de aplicação, nenhuma espécie de investimento", afirmou Temer, durante evento da Associação Brasileira da Indústria Gráfica (Abigraf), em São Paulo.

DAIENE CARDOSO, Agencia Estado

28 de junho de 2012 | 14h38

O vice-presidente frisou que o PAC Equipamentos faz parte de uma série de medidas para alavancar a economia. Ele lembrou que recentemente a União anunciou uma linha de crédito para os Estados com o objetivo de aumentar os investimentos públicos e incentivar os investimentos privados.

"Com a crise na Europa, as pessoas aqui no Brasil, tanto os investidores quanto os poupadores, ficam preocupadas, não sabem o que vai acontecer. O que o poder público tem feito é incentivar o investimento. É demonstrar com otimismo que a crise não chega no Brasil, como não chegou em 2009 e não vai chegar agora", afirmou Temer.

Questionado se o governo pretende prorrogar a isenção do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para a linha branca, Temer disse que tudo vai depender do cenário apresentado no prazo de validade da medida. O benefício termina no próximo sábado. "Vai depender do momento, do quadro econômico que se desenhe quando acabar o prazo da isenção", desconversou.

Tudo o que sabemos sobre:
medidasestímulosTemer

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.