Divulgação
Divulgação

Temer vai anunciar aumento do Bolsa Família nesta sexta-feira

Durante a semana, equipe econômica e do Desenvolvimento Social tentaram fechar valores, sem consenso; reajuste para repor a inflação de 2017 teria custo de R$ 1 bilhão

Carla Araújo, O Estado de S.Paulo

27 Abril 2018 | 14h44

BRASÍLIA - O presidente Michel Temer disse que vai anunciar ainda na tarde desta sexta-feira, 27, o valor do reajuste do Bolsa Família. Segundo Temer, os valores ainda estão sendo fechados. "Vou anunciar o aumento hoje à tarde", disse.

+ Bolsa Família deixa de atender mais de 326 mil casas em 2017, revela IBGE

Durante a semana, a equipe econômica e do Desenvolvimento Social tentaram fechar os valores, mas não houve consenso. Enquanto a ala econômica quer no máximo liberar uma reposição da inflação, a ala política pretende usar a bandeira do reajuste como um feito positivo do governo e buscava algo próximo dos 5% de aumento, o que o Ministério do Planejamento tem resistido. Um reajuste para repor a inflação de 2017, de 2,95%, teria custo de R$ 1 bilhão.

Temer deu as declarações após almoço no Itamaraty oferecido ao presidente chileno Sebastian Piñera. Durante o almoço, o presidente teve conversas ao pé de ouvido com o novo ministro do Desenvolvimento Social, Alberto Beltrame, que estava negociando diretamente com o Planejamento o reajuste que poderá ser oferecido.

A ideia inicial do governo era que o presidente anunciasse o reajuste do benefício no dia 1º de maio, possivelmente em cadeia nacional de rádio e TV. Questionado se ainda faria o anúncio na TV, o presidente apenas acenou como uma possibilidade. "Vamos ver. Vou fechar agora à tarde, nem sei ainda qual é o valor", disse.

+ Morre idealizadora do Bolsa Família

O último reajuste do Bolsa Família foi de 12,5%, concedido em 2016, logo após a posse do presidente Michel Temer. O programa beneficia atualmente 13,8 milhões de famílias, com renda por pessoa entre R$ 85,01 e R$ 170,00 mensais, desde que tenham crianças ou adolescentes de 0 a 17 anos.

Diante da insistência de repórteres, o presidente disse que não tinha o que falar mais hoje já que pela manhã fez um pronunciamento para rebater acusações contra ele e sua família. "Já desopilei". Hoje cedo, Temer convocou um pronunciamento para rebater acusações. "Venho aqui, mais uma vez, naturalmente para protestar contra mentiras que são lançadas contra a minha honra", disse o presidente, ressaltando que não vai se deixar abater por "ilações". "Se pensam ainda ilusoriamente que vão derrubar, não irão conseguir."

++1% mais rico ganha 36 vezes o que ganha a metade mais pobre da população

Eleição. Ao ser questionado sobre uma possibilidade de aliança com Geraldo Alckmin (PSDB) e se isso já sinalizava uma desistência de sua candidatura, o presidente acenou negativamente com a mão e disse apenas: "Isso é para o futuro. É para julho", respondeu.

Mais conteúdo sobre:
Michel Temer Bolsa Família inflação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.