DIDA SAMPAIO/ESTADÃO
DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Temer vai reunir ministros para discutir preço da gasolina

Recentes altas no preço dos combustíveis têm recebido críticas e reclamações de vários setores; caminhoneiros fazem protestos em todo o País contra a carga tributária sobre o diesel

Luci Ribeiro, O Estado de S.Paulo

21 Maio 2018 | 15h37

BRASÍLIA - O presidente Michel Temer marcou para o fim da tarde desta segunda-feira, 21, uma reunião para tratar do preço da gasolina. Foram convocados para a conversa os ministros de Minas e Energia, Moreira Franco, da Fazenda, Eduardo Guardia, e do Planejamento, Esteves Colnago, além do secretário da Receita Federal, Jorge Rachid. O tema da reunião, que é "gasolina", foi informado na agenda de Moreira Franco. 

+ Sindicato aprova greve de petroleiros contra alta dos combustíveis

Caminhoneiros fizeram protestos nesta segunda-feira em várias rodovias do País por causa do aumento do preço do diesel. A categoria reivindica que a carga tributária sobre o diesel também seja reduzida, com isenção da Cide e alíquota zero de PIS/Cofins. 

As recentes altas no preço dos combustíveis têm recebido críticas e reclamações de vários setores. Os presidentes do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), e da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), anunciaram hoje que irão promover uma comissão geral do Congresso no dia 31 de maio para debater o assunto e encontrar soluções. Para a comissão geral, que consiste em uma sessão conjunta de senadores e deputados, serão convidados representantes da Petrobrás, distribuidoras, postos, governo e estudiosos do setor. "O preço dos combustíveis, no nível em que se encontra, impacta negativamente o dia a dia dos brasileiros", destaca nota sobre a comissão geral assinada por Eunício e Maia. 

+ Celso Ming: A disparada do petróleo

 

 

No último domingo, Maia usou sua conta no Twitter para falar do assunto e criticar os aumentos. Pré-candidato ao Palácio do Planalto, Maia inclusive sugeriu ao governo federal que avalie a possibilidade de zerar a Cide e diminuir PIS/Cofins sobre o produto para ajudar a diminuir o preço da gasolina no País. "No curto prazo, o governo federal deve avaliar a possibilidade de zerar a Cide e diminuir o PIS/Cofins. Os Estados podem avaliar o mesmo para o ICMS. São ideias de políticas compensatórias para enfrentar o momento atual. E estão distantes do congelamento de preços que vimos no passado", escreveu Maia. Cide, PIS/Cofins e ICMS são tributos que incidem sobre o preço dos combustíveis.

 

 

Mais conteúdo sobre:
Gasolina petróleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.