finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Temor de retração nos EUA atinge mercados asiáticos

As bolsas de valores da Ásiaencerraram em queda e o iene operou em alta nesta sexta-feira,influenciados por preocupações com o mercado imobiliário eproblemas de crédito dos Estados Unidos que podem colocar amaior economia do mundo em recessão. Os preços dos bônus dos governos do Japão e da zona do eurosubiram puxados por investidores que mudaram recursos paraativos mais seguros. As ações de instituições financeiras ficaram entre asprincipais quedas. O Banco da China despencou 5,38 por centodepois que revelou uma exposição maior que a esperada aomercado de crédito imobiliário de risco (subprime) dos EstadosUnidos. Apesar disso, os mercados de ações da Ásia tiveram essasemana o maior ganho em mais de 19 anos, acompanhando umamelhora na estabilidade dos mercados de crédito em relação aodrástico aumento de volatilidade da semana passada. "O sentimento melhorou comparado ao que era uma ou duassemanas atrás, mas a questão do subprime vai continuarborbulhando sob a superfície", disse Michael Heffernan,conselheiro e estrategista da Austock Stockbroking. O índice MSCI que reúne os mercados da regiãoÁsia-Pacífico, menos o Japão, recuava 0,38 por cento, a 456pontos. Na semana passada, o indicador sofreu a maior quedasemanal em quase uma década. O índice se recuperou em cerca de 13 por cento desde quetropeçou para o ponto mais baixo em cinco meses na últimasexta-feira. Apesar disso, nesta semana ele acumula valorizaçãode 10,2 por cento, a maior desde a semana de 31 de dezembro de1987, de acordo com dados da Reuters. Entretanto, o indicador continua mais de 10 por centoabaixo do recorde de 24 de julho. No ano, há valorização de 14por cento. Analistas disseram que a queda nos preços das ações destasexta-feira deve ser colocada no contexto do ganho geral dasemana. "Os mercados tiveram um rali bem significativo nos últimosquatro dias sem uma pausa. Temos o fim de semana agora e vocênão sabe o que virá dos EUA. Então, é normal os operadores seliberarem um pouco (de suas posições)", disse Binay Chandgothi,chefe de investimento da operação de Hong Kong da PrincipalAsset Management. A bolsa de Tóquio fechou em queda de 0,41 por cento, depoisque investidores mudaram suas posições antes de uma mudança nogabinete do país. Porém, o mercado encerrou a semana comvalorização de 6,4 por cento, registrando o maior ganho semanaldesde outubro de 2002. Exportadores e companhias expostas aos EUA puxaram asbaixas em Sydney e Seul, mas essas bolsas realizaram na semanaos maiores ganhos em mais de cinco anos. Indo contra o movimento da região, o principal índice debolsa da China, que quadruplicou sua valorização desde o iníciode 2006, subiu 1,5 por cento, definindo novo recorde. O mercadofoi influenciado por uma torrente de dinheiro novo vindo defundos mútuos recém estabelecidos e otimismo sobre a economiachinesa. A bolsa de Hong Kong recuou 0,2 por cento. Taiwan caiu 0,49por cento e Cingapura encerrou praticamente estável, comligeira queda de 0,04 por cento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.