seu bolso

E-Investidor: O passo a passo para montar uma reserva de emergência

Temores com crescimento da China e EUA afetam ações asiáticas

As commodities recuperaram parte das perdas vistas mais cedo mas continuaram voláteis, depois que investidores ficaram mais avessos a ativos de risco devido a temores com a desaceleração do crescimento da China e dos Estados Unidos.

CHIKAKO MOGI, Reuters

16 de abril de 2013 | 07h55

Às 7h30 (horário de Brasília), o índice MSCI que reúne ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão tinha ligeira alta de 0,19 por cento, depois de chegar a cair 1 por cento mais cedo, aproximando-se da mínima de 2013 atingida no começo do mês, puxada pelos setores de materiais e de energia.

Os mercados foram afetados por correções após ralis recentes.

"De forma geral, os mercados de risco estavam avançado num ritmo que não está em linha com a fraca recuperação do crescimento global, portanto de certa forma eles estão tentando reverter para níveis mais em linha com os fundamentos. É hora de realizar lucros dos recentes ralis e acumular dinheiro", afirmou o sócio da empresa de pesquisa e consultoria Market Risk Advisory em Tóquio Naohiro Niimura.

Vendas generalizadas de ouro afetaram o índice australiano, sensível aos desdobramentos no mercado de metais, embora tenha recuperado parte das perdas para fechar em queda de 0,34 por cento.

O índice Nikkei, do Japão, também diminuiu parte das perdas para encerrar em queda de 0,41 por cento, depois de chegar a cair 2 por cento mais cedo devido a uma valorização do iene, que feriu o sentimento do investidor.

O índice de Seul encerrou em leve alta de 0,09 por cento, o mercado recuou 0,46 por cento em Hong Kong, enquanto a bolsa de Taiwan subiu 0,48 por cento. O índice referencial de Xangai ganhou 0,59 por cento e Cingapura avançou 0,22 por cento.

(Reportagem adicional de Thuy Ong em Sydney)

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAASIAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.