Temores financeiros persistem e mercados na Ásia cedem

As principais bolsas asiáticastiveram uma sexta-feira de queda, afetadas por ações daindústria de base derrubadas pela queda de 10 por cento nopreço do petróleo esta semana e por resultados abaixo doesperado do Merrill Lynch, que reduziu as esperanças de umarecuperação no setor financeiro. Os mercados ainda ampliaram as perdas depois que o WallStreet Journal afirmou que a agência hipotecária Freddie Macestá considerando aumentar o capital com a venda de 10 bilhõesde dólares em novas ações para investidores, muitos dos quaisjá acionistas da empresa. O índice Nikkei da bolsa de Tóquio fechou comdesvalorização de 0,65 por cento, encerrado sua sexta semanaconsecutiva de perdas. Neste semana o petróleo negociado nos Estados Unidos caiupara cerca de 130 dólares o barril, por temores de que adecrescente demanda dos Estados Unidos e redução nas tensõesentre o Irã e o Ocidente. Contudo, os investidores ainda estão sensíveis sobre osetor financeiro. "No longo prazo, as pessoas estão preocupadas com o fato deque mesmo com as autoridades norte-americanas falando muitosobre oferecer apoio às agências hipotecárias Freddie Mac eFannie Mae, não parece ter havido um impacto positivo como omercado gostaria", afirmou Seiichi Miura, estrategista noMitsubishi UFJ Securities, em Tóquio. Na contramão, o índice Hang Seng da bolsa de Hong Kongavançou 0,64 por cento, para 21.874 pontos. A bolsa australiana fechou com desvalorização de 1,24 porcento, aos 4.840 pontos, afetada pela queda nas ações deempresas de energia. É a nona semana consecutiva de perdas nomercado, a maior em seis anos. Na Coréia do Sul a bolsa fechou com baixa de 1,02 porcento, aos 1.509 pontos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.