Tempestade tem baixo impacto em produção de petróleo nos EUA

A tempestade tropical Erinnão provocou muitos problemas para as empresas de petróleo egás que funcionam na região da cidade de Corpus Christi, Texas,depois de ter ingressado em terra firme, na quinta-feira,afirmaram representantes dessas empresas. O impacto da tempestade parecia limitar-se ao fechamentotemporário de um canal de navegação que leva ao porto de CorpusChristi, um importante centro petrolífero. O canal reabriu na quinta-feira de manhã após ficar fechadopor cerca de oito horas como medida de precaução, afirmou umporta-voz da Guarda Costeira. Os mercados de combustível preocupavam-se com apossibilidade de a tempestade afetar o funcionamento de quatrorefinarias de petróleo da área, que juntas processam mais de 1milhão de barris de petróleo por dia, além de outros materiais. Porta-vozes das empresas Valero e ConocoPhillips,responsáveis por duas das usinas que estavam na rota do Erin,disseram que as instalações não sofrerem nenhum impacto. Há na região várias outras empresas que também produzem gáse petróleo. Algumas plataformas de extração de petróleo foramesvaziadas, mas apenas uma plataforma de produção teve suasoperações totalmente paralisadas. A Royal Dutch Shell Plc disse na terça-feira que fechariauma pequena unidade de produção do golfo do México responsávelpor processar 140 mil metros cúbicos de gás por dia. A Apache Energy Corp. e a El Paso relataram na quinta-feirade manhã que suas operações não haviam sido afetadas pelatempestade. (Reportagem adicional de Matthew Robinson, Robert Campbell,Haitham Haddadin e Janet McGurty em Nova York)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.