Tempo mais seco traz alívio à principal área de trigo da Argentina, diz governo

Tempo mais seco traz alívio à principal área de trigo da Argentina, diz governo

"Não choveu nas áreas de Buenos Aires mais afetadas pela água, o que trouxe um pouco de alívio", disse o governo em seu relatório semanal de culturas

REUTERS

19 de setembro de 2014 | 15h18

O tempo seco nos últimos dias no sul da principal província de trigo da Argentina ajudou a reduzir o excesso de água após várias semanas de fortes chuvas, embora várias áreas ainda estejam inundadas, afirmou nesta sexta-feira o Ministério da Agricultura.

A Argentina é um grande exportador mundial de trigo e principal fornecedor do Brasil, mas devido a um tempo mais chuvoso que o habitual nos últimos meses a área cultivada, de 4,5 milhões de hectares, de acordo com dados oficiais, pode ser reduzida.

"Não choveu nas áreas de Buenos Aires mais afetadas pela água, o que trouxe um pouco de alívio", disse o governo em seu relatório semanal de culturas.

No entanto, campos no leste e nordeste da província agrícola mais importante do país ainda estão debaixo de água, segundo o relatório do ministério, e mais chuvas poderiam ocorrer nos próximos dias.

A bolsa de Buenos Aires estimou o plantio de trigo 2014/15 em 4,1 milhões de hectares, segundo relatório especial divulgado nesta sexta-feira, que informou que devido à água em excesso foram perdidos 60 mil hectares plantados com o cereal.

"A atual perda da área estimada pode ser agravada com a evolução de chuvas nos próximos meses", disse a bolsa, acrescentando que 89 mil hectares com cevada 2014/15 também foram perdidos, de uma área total de 920 mil hectares.

(Reportagem de Maximilian Heath)

Tudo o que sabemos sobre:
COMMODSTRIGOARGENTINA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.