Tensão global faz Bovespa voltar à faixa de 54 mil pontos

As persistentes preocupações com aeconomia norte-americana e perdas de bancos ao redor do mundocom a crise imobiliária fazem a Bovespa despencar perto de 6por cento nesta segunda-feira de feriado nos Estados Unidos. Às 11h41, o Ibovespa perdia 5,68 por cento e voltava àfaixa de 54 mil pontos. O volume de negócios na bolsa era de616 milhões de reais. "O mercado está absorvendo o noticiário do final de semana.Desde sexta-feira os investidores esperavam explicações dopresidente Bush sobre o pacote de estímulo à economia, mas aincerteza continuou", afirmou Luiz Roberto Monteiro, assessorde investimentos da corretora Souza Barros. "Tem notícias de que as perdas estão chegando a bancos naChina, que vão ter que fazer marcação a mercado. Na Europatambém tem comentários de mais prejuízos de bancos. E aqui,internamente, tem desmonte de carteiras." Na Europa, o índice que reúne as principais ações perdia4,3 por cento. Na Ásia, as bolsas de valores fecharam com quedaexpressiva. Na sexta-feira, o presidente norte-americano, George W.Bush, propôs um pacote equivalente a 1 por cento do ProdutoInterno Bruto (PIB) para evitar que a economia entre emrecessão. O anúncio, no entanto, não foi acompanhado dedetalhes e o plano depende de aprovação do Congresso. Também contribuía para o tombo da bolsa paulista odesempenho ruim da Vale. Jornais publicaram que a mineradoraestá se preparando para fazer uma oferta de compra pelaanglo-suíça Xstrata. O negócio poderia atingir 90 bilhões dedólares, segundo O Estado de São Paulo e Valor Econômico. As ações preferenciais da Vale despencavam 6,7 por cento, a43,75 reais. A Petrobras, que lidera com a Vale a liquidez nabolsa, também caía fortemente, 6,6 por cento, a 67,10 reais. Na Bovespa, o dia também é de exercício de opções. Mas,segundo Monteiro, "a grande maioria das opções vai 'virar pó'diante do cenário negativo". (Por Daniela Machado)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.