Teor da conversa de Krueger com Fraga não é divulgado

A vice-diretora do Fundo Monetário Internacional (FMI), Anne Krueger, esteve reunida nesta segunda-feira, durante pouco mais de uma hora, com o presidente do Banco Central, Armínio Fraga, na sede regional do banco. O início da tão esperada visita da representante do FMI ao Brasil foi marcada por mistério e nenhuma informação sobre o teor das conversas ou da agenda que cumpriu no Rio, onde permanece até a manhã desta terça-feira.Anne Krueger esteve reunida também, na própria sede do BC, com o presidente do Dresdner Bank no Brasil, Winston Fristch. Sobre o teor da reunião, que teria contado com a presença de outros economistas, Fritsch limitou-se a informar, via assessoria de imprensa, que ?não se sente confortável? para comentar o encontro com os representantes do FMI.A discrição não impediu que Anne Krueger tenha tido contato, mesmo protegida pelas janelas do carro, com um protesto de manifestantes do Partido Socialista dos Trabalhadores Unificados (PSTU). Os cinco representantes do partido receberam a vice-diretora, na porta do BC, com bandeiras vermelhas, aos gritos de ?fora, fora já daqui, o FHC e o FMI? e ?fora Alca?.Acompanhada do representante do FMI no Brasil, Rogério Zandanella, e do diretor-executivo do Brasil para o FMI, Murilo Portugal, Anne Krueger permaneceu no banco 20 minutos após a saída de Armínio Fraga do local. A assessoria do BC em Brasília informou que ela utilizou as instalações da instituição para outras reuniões, como a que teve com Fritsch.Nesta terça-feira, Anne Krueger reúne-se às 12 horas em Brasília com o ministro da Fazenda, Pedro Malan. A seguir, às 15h45, será a vez do ministro do Desenvolvimento, Sérgio Amaral, e fechando a agenda do dia, às 17 horas, haverá reunião com o presidente Fernando Henrique Cardoso.O silêncio desta segunda da vice-diretora do FMI manteve acesa no mercado a expectativa da negociação de um novo acordo do FMI com o governo brasileiro. Murilo Portugal disse que ?é provável? que Anne Krueger fale com a imprensa nesta terça em Brasília sobre os contatos que manteve com o governo brasileiro. Esta é a sua primeira visita ao País, que está sendo acompanhada com atenção pelo mercado financeiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.