Teoria de Keynes chegou cedo ao País

Para Celso Furtado, aplicação das ideias do economista inglês deu-se com a política da queima de café nos anos 1930

Fábio Alves, O Estado de S.Paulo

31 de julho de 2011 | 00h00

Para o economista Celso Furtado, ex-ministro do Planejamento e da Cultura falecido em 2004, a aplicação da teoria keynesiana no Brasil ocorreu antes mesmo de John Maynard Keynes publicar o seu clássico em 1936. De acordo com Furtado, isso ocorreu com a política visionária da queima de café em 1930 por Getúlio Vargas, daí muitos a chamarem de keynesianismo "avant le lettre".

Ao despejar muito dinheiro na proteção do preço do café, Vargas inovou na adoção de uma política anticíclica, fazendo com que o Brasil fosse um dos primeiros países a se recuperar do efeito da grande depressão da década de 1930.

Tal arrojo não passou despercebido pelos Estados Unidos: para salvar a economia americana, o governo do presidente Franklin Delano Roosevelt implementou o "New Deal", plano de recuperação da economia americana com investimento pesado do Estado em obras públicas e controle de preços, enterrando a política do liberalismo econômico, ou "laissez-faire", que prevalecia no mundo desenvolvido até então.

E Roosevelt não deixou de reconhecer a visão de Vargas em 1930. Num discurso em 27 de novembro de 1936, durante visita ao Rio de Janeiro, Roosevelt fez um afago ao líder brasileiro.

"Despeço-me esta noite com grande tristeza. Há algo, no entanto, que devo sempre lembrar. Duas pessoas inventaram o New Deal: o presidente do Brasil e o presidente dos Estados Unidos", disse Roosevelt, em frase pinçada da tese de doutorado de Flávio Limoncic apresentada na Universidade Federal do Rio de Janeiro.

O discurso do presidente americano no Rio de Janeiro encontra-se na íntegra na biblioteca Franklin D. Roosevelt, no Estado de Nova York.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.