Terá início a operação de venda das ações da Vale

Começaram a ser veiculados, desde ontem, comerciais na TV informando sobre a venda de ações da ações da Companhia Vale do Rio Doce (CVRD) ) que ainda estão em poder do Tesouro Nacional e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), mas ainda não há uma data oficial definida para o início da operação.Ontem também, as instituições financeiras que vão participar da operação foram informadas de que as agências bancárias já podem vender os papéis. Fonte que acompanha as negociações revela que os últimos entraves já foram resolvidos. Entretanto, até às 19 horas, o BNDES, coordenador da venda, não havia divulgado formalmente a data do início da operação.A venda será um importante reforço de caixa para o Tesouro que deve arrecadar cerca de US$ 1,8 bilhão com a participação de 31,5% que detém no capital votante da maior mineradora do País. Os recursos representam quase a metade do orçamento em privatização deste ano prometido pelo governo brasileiro ao Fundo Monetário Internacional (FMI).A oferta terá a duração de um mês e será acompanhada de ampla campanha publicitária em todo o País. O modelo de venda vai seguir o mesmo aplicado na época da venda pulverizada das ações excedentes ao controle do governo na Petrobrás. Os trabalhadores poderão usar parte do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para comprar os papéis, com desconto sobre o preço das ações, que será definido por meio de um processo de "bookbuilding", no qual o preço é formado pela média das propostas do mercado. Poderão participar da compra das ações investidores de varejo domésticos - usando até metade do saldo de FGTS e/ou dinheiro vivo entre os limites de R$ 300,00 a R$ 100 mil - e investidores institucionais domésticos e estrangeiros.Apesar de a oferta ocorrer simultaneamente para todos, o segmento de varejo doméstico terá preferência na operação O preço, até na venda pulverizada, será formado por uma média dos preços ponderada das ofertas de compra feitas pelos investidores institucionais. O prazo de venda no varejo e institucional será simultâneo. Tradicionalmente, os investidores institucionais fazem ofertas nos últimos dias permitidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.