coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Terceira faixa do salário mínimo paulista é fixada em R$ 835

Dividido em três faixas, o piso regional abrange 7,2 milhões de trabalhadores de 105 ocupações 

Laura de Paula, Especial para a Agência Estado

24 de março de 2014 | 17h40

A terceira faixa do piso salarial do Estado de São Paulo foi restabelecida nesta segunda-feira, 24, ao valor de R$ 835. A medida beneficia administradores agropecuários e florestais; trabalhadores de serviços de higiene e saúde; chefes de serviços de transportes e de comunicações; supervisores de compras e de vendas; agentes técnicos em vendas e representantes comerciais; operadores de estação de rádio e de estação de televisão, de equipamentos de sonorização e de projeção cinematográfica, e técnicos em eletrônica.

Segundo o governo estadual, a terceira faixa de salário regional foi suprimida em dezembro porque essas categorias tinham se organizado em sindicatos. Logo, foram protegidas por acordos de convenção coletiva. No entanto, profissionais da saúde pediram o retorno do piso, alegando que o valor servia como base para algumas funções.

A sanção do governador Geraldo Alckmin (PSDB) altera a Lei 15.250/13, que reajustou as duas primeiras faixas salariais, respectivamente, para R$ 810 e R$ 820. O piso regional de São Paulo foi criado em 2007 para trabalhadores da iniciativa privada que não possuem remuneração mínima definida por lei federal, convenção ou acordo coletivo de trabalho. Dividido em três faixas, abrange 7,2 milhões de trabalhadores de 105 ocupações.

Tudo o que sabemos sobre:
saláriopiso regionalSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.