Terceiro recorde seguido faz Bovespa passar 70 mil pontos

A proliferação de perspectivasanimadoras sobre os efeitos do investment grade para o Brasildeu fôlego adicional para a Bolsa de Valores de São Paulo, queatingiu nova pontuação máxima pela terceira vez seguida nestasegunda-feira. Mesmo depois de duas sessões de forte alta e com ainfluência negativa de Wall Street, o Ibovespa manteve-sefirme, encerrando o dia em 70.174 pontos, com elevação de 1,17por cento. O giro financeiro foi de 7,1 bilhões de reais. O mote para manter os investidores na ponta compradoraforam relatórios de grandes bancos divulgados nestasegunda-feira, como UBS e Citi, reforçando suas projeções debom desempenho para o índice. O primeiro manteve a estimativade que o Ibovespa chegará a 85 mil pontos em dezembro. O outroelevou a aposta, de 67 mil para 74 mil pontos, no final do ano. Segundo profissionais do mercado, após a euforia que sesucedeu à elevação do rating soberano do país pela agênciaStandard & Poor's, na última quarta-feira, investidorespassaram para uma análise mais profunda sobre quais ascompanhias serão mais beneficiadas com a mudança. "As compras de ações passaram a se concentrar mais nascompanhias com maior necessidade de capital para crescer oumelhorar sua posição de endividamento", explicou Régis Abreu,diretor de gestão da gestora de recursos Mercatto. Desse modo, ações de empresas do setor elétrico foram aslíderes de ganhos. As ordinárias da Light lideraram omovimento, com um salto de 9,3 por cento, a 28,19 reais. As ações preferenciais da OI subiram 5,3 por cento, a 39,30reais. A companhia protocolou na Comissão de ValoresMobiliários (CVM) um pedido de aprovação para captar 1,61bilhão em debêntures. Assim, o mercado doméstico passou incólume pela queda dasbolsas norte-americanas, que reagiram com pessimismo à notíciade que a Microsoft desistiu da compra do portal Yahoo e a novostemores com a empresa de hipotecas Countrywide. O índice DowJones recuou 0,68 por cento. No entanto, o dia também foi de ajustes, movimento queatingiu especialmente os papéis de empresas varejistas, as quemais subiram após o anúncio da S&P. As ações preferenciais daLojas Americanas, que haviam subido mais de 20 por cento echegaram a esboçar nova alta nesta segunda-feira, reverteram,para cair 0,36 por cento, a 13,90 reais. (Edição de Vanessa Stelzer)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.