''Teremos redução de 10% na produtividade''

Márcio Franca: empresário, dono de confecção em Brasília

, O Estadao de S.Paulo

24 de agosto de 2009 | 00h00

A redução da jornada de trabalho pode ter efeitos sobre os preços, prevê o empresário Márcio Franca, de Brasília. O custo adicional, acredita, será repassado ao consumidor. Ele emprega 14 pessoas numa confecção de uniformes e moda feminina, além de uma loja. A seguir, trechos da entrevista.Qual será o impacto da redução da jornada de trabalho?Como o setor é composto na maioria por micro e pequenas empresas, acreditamos que o impacto será forte. É um segmento que emprega mão de obra intensiva e, por mais que haja avanço tecnológico, não desemprega. Teremos redução de 10% na produtividade. Corremos risco de perder mercado.Como o sr. agirá? Vai contratarmais ou produzir menos?Para não haver perda de mercado, as empresas vão aumentar a terceirização e teremos o agravamento da informalidade. Do contrário, as empresas perderão fatia de mercado. Contratar mais, acho difícil, pois os encargos trabalhistas são pesados. Esperamos com ansiedade a implantação do Simples Trabalhista ou a reforma trabalhista.Os sindicalistas falam em geração de até 2,5 milhões de empregos com a medida.Não vai acontecer. Esse é um número que não fecha. E tem outra coisa que nos preocupa: aquele trabalhador que produz semanalmente 500 peças com 44 horas de trabalho por semana, pode ter certeza que o empresário vai fazer o máximo para que ele produza o mesmo em 40 horas. Ou seja, vai haver desgaste no relacionamento.Seu setor usa horas extras?Usamos bastante. Esse é outro problema. Como é que não vou repassar isso aos preços? Se tenho um custo para produzir e ocorre um aumento, vou jogar para o preço e passar para frente. É o único jeito de permanecer no mercado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.