Térmicas poderão voltar a ser contratadas este ano, diz Tolmasquim

Segundo o presidente da EPE, a Petrobrás está aumentando sua produção de gás associado ao petróleo e isso deve gerar uma maior disponibilidade do combustível 

Kelly Lima, da Agência Estado,

31 de janeiro de 2011 | 13h39

O presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim, admitiu nesta segunda-feira, 31, a possibilidade de que seja contratada este ano parte de energia de térmicas a gás no leilão de A-3. Segundo ele, a Petrobrás está aumentando sua produção de gás associado ao petróleo e isso deve gerar uma maior disponibilidade do combustível. "A depender do preço e do seu nível de competitividade, deveremos mesmo ver usinas térmicas voltando a ser contratadas este ano e concorrendo com outras fontes renováveis", disse.

Segundo ele, a tendência não visa atender a uma necessidade de um incremento na demanda de gás produzido pela Petrobrás, mas sim dar maior segurança ao sistema hidrotérmico adotado no Brasil. "Com reservatórios sendo construídos cada vez com tamanhos menores, diminui nossa confiabilidade e aumenta o risco. Portanto, temos que ter mais fontes alternativas e que possam ser acionadas no caso de emergências", afirmou.

Além de possíveis empreendimentos térmicos, ele confirmou um leilão de energia eólica, um de biomassa, e ainda o retorno ao leilão de energia de pelo menos duas usinas da região do Parnaíba (Cachoeira e Estreito Parnaíba), que não tiveram interessados no último leilão. "estamos em contato com os órgãos ambientais para tentar alterar os projetos, diminuir as condicionantes para torná-los mais atraentes e com menor custo", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.