Termina greve na refinaria Abreu e Lima e Petroquímica Suape

Trabalhadores aceitaram a proposta patronal, que ofereceu adicional de periculosidade de 30%, além de 9% de reajuste salarial e aumento no vale alimentação

Angela Lacerda, correspondente de O Estado de S.Paulo

12 de agosto de 2014 | 12h45

Em assembleia realizada na manhã desta terça-feira, 12, os 38 mil trabalhadores da Refinaria Abreu e Lima e da Petroquímica Suape, no complexo industrial de Suape, no município metropolitano de Ipojuca, decidiram encerrar a greve iniciada na última quinta-feira (7). Eles aceitaram a nova proposta patronal, que ofereceu adicional de periculosidade de 30% sobre o salário, além de 9% de reajuste salarial e aumento de R$ 40,00 no vale alimentação que passa de R$ 310,00 para R$ 350,00.

Os trabalhadores retomam as atividades nesta quarta-feira, 13. Eles pediam inicialmente reajuste salarial de 13% e aumento de R$ 98,00 no vale refeição, além do adicional de periculosidade de 30% sobre o salário. 

De acordo com o coordenador de fiscalização do Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias de Construção de Estradas, Pavimentação e Obras de Terraplenagem em Geral (Sintepav-PE), Leodélson Bastos, houve a promessa patronal de abono dos dias não trabalhados desde que os empregados compensem com um dia a mais de trabalho. A compensação ocorrerá no sábado.

Tudo o que sabemos sobre:
abreu e limasuape

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.