Termina hoje a oferta da Petrobrás

Após oferta, Petrobrás define preço das ações, que deve ficar parecido com o das cotações de ontem, de R$ 26,35 (PN) e R$ 29,80 (ON)

Roberta Scrivano, O Estado de S.Paulo

22 de setembro de 2010 | 00h00

Termina hoje o prazo para a reserva de ações da capitalização da Petrobrás. Os interessados em participar do processo precisam procurar uma corretora, abrir a conta e solicitar a reserva dos novos papéis até o fim do dia.

Nessa etapa, chamada de "oferta ao varejo", serão distribuídos 20% dos papéis que formam a oferta prioritária - concluída dia 16 e que era exclusiva para os acionistas.

Com o encerramento do processo de coleta de intenções de investimento - uma das principais informações para a formação do preço da ação da capitalização (bookbuilding)-, o Conselho de Administração da Petrobrás se reunirá amanhã para determinar qual será o preço do papel que vai compor a capitalização. O valor só será divulgado no fim do dia.

O processo de formação de preço também levará em conta a cotação média dos papéis da petrolífera durante o processo de capitalização. Na sessão de ontem, os papéis preferenciais (PN) da companhia fecharam com forte queda de 2,77%, a R$ 26,35. As ações ordinárias (ON), caíram 3,25%, para R$ 29,80. Especialistas em investimentos estimam cotação semelhante para os papéis na hora da capitalização.

O investimento mínimo definido para novos acionistas é de R$ 1 mil e o máximo de R$ 300 mil. Na hora da reserva das ações, o investidor terá de determinar quanto está disposto a gastar por ação no processo. Se o valor indicado pelo investidor for maior que o definido pelo Conselho da Petrobrás, a compra não será efetivada.

Fundos de Investimento. Aos novos investidores, há ainda a possibilidade de participar da capitalização por meio da compra de cotas dos Fundos de Investimento em Ações da Petrobrás (FIA-Petrobrás).

Esses fundos serão administrados pelos grandes bancos e terão no mínimo 80% do patrimônio em ações da companhia. As cotas serão padronizadas em todas as instituições. A mais barata será de R$ 200 e a maior de R$ 300 mil.

Quem optar por esse tipo de investimento deve ficar atento às taxas de administração cobradas pelos bancos para não ter a rentabilidade do investimento prejudicada. O Itaú Unibanco, Santander e Banco do Brasil definiram essa taxa em 2%. Bradesco e HSBC em 1,5%. A Caixa cobrará o menor valor, 0,5%.

Na oferta ao varejo, qualquer interessado pode participar, mas tem prioridade de compra quem é funcionário da petroleira e que terá 15% de desconto no preço das ações.

A efetivação total das reservas da oferta ao varejo vai depender da quantidade de ações disponíveis, uma vez que essa oferta será composta pela sobra de papéis da oferta aos investidores prioritários.

As informações sobre a capitalização, bem como o cronograma detalhado do processo, estão disponíveis no site da Comissão de Valores Mobiliários (CVM): www.cvm.gov.br.

Negociação. Na Bolsa de Nova York, a negociação dos papéis será iniciada na sexta-feira, dia 24. A efetivação das reservas estrangeiras também só ocorrerá se o preço sugerido pelos investidores for igual ou menor do que o definido pelo Conselho da Petrobrás.

Na Bolsa de Valores de São Paulo, o início das negociações está marcado para segunda-feira, dia 27.

OFERTA AO VAREJO

Quem pode participar

Todos os interessados. Funcionários da Petrobrás têm preferência de compra

Prazo para a reserva

Hoje. Até o fim do expediente das corretoras

Limite de investimento

Mínimo de R$ 1 mil e máximo de R$ 300 mil. Há também, nos bancos, cotas de fundos de investimento por R$ 200

Como fazer

Abrir uma conta em uma corretora e pedir a reserva dos papéis da capitalização. Na hora da solicitação, também é necessário indicar quanto está disposto a pagar por cada papel. Se esse valor for menor que o definido pela Petrobrás, a compra não será efetivada

Preço da ação

Os papéis PNs, segundo especialistas, devem ser negociados a R$ 26; os ONs em torno de R$ 29

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.